terça-feira, 15 de março de 2011

J. Inácio o pintor do século


Inácio era o maior de todos os pintores de Sergipe Del Rey: seus quadros se espalharam pelos quatro cantos do mundo. Se notabilizou por pintar bananeiras, elas surpreendiam pela criatividade do pintor e seu traço inconfundível. Poucos sabem que ele é irmão de pai e mãe do Padre Pedro, aquele homem que tinha um grande coração e viveu dedicado aos pobres. O povo sergipano o elegeu o sergipano do século.

Inácio por sua vez, era uma legenda, um artista completo, perambulava pelas ruas de Aracaju, com muita simplicidade, a camisa suja de tinta conferia-lhe um visual inusitado. Era um verdadeiro mestre na arte do galanteio, quando entrava num ônibus fazia logo amizade com todo mundo era um homem extremamente agradável. O público feminino que o diga! Alegre, brincalhão e culto.

Todo meio dia estava no antigo restaurante vegetariano “Empório Naturista “ onde naquele lindo ambiente cheio de lindas arvores, pintava ou esboçava algumas aquarelas. Amava os animais, por isso era um vegetariano compenetrado. As vezes, saia pela rua comendo um pão, ou se encantava com alguma manga ou algum caju e chupava ali mesmo, sem mais nenhum dente na boca. Depois dava um belo sorriso. Cabecinha de algodão , seus cabelos eram tão brancos como as nuvens. Eu era simplesmente fascinado por ele.

Escrevia para o Jornal O Papagaio com o pseudônimo Di Rosa Leão, seus artigos eram sempre voltados para a preservação do meio ambiente, criticava o fato das praças serem verdadeiros labirintos. Artigos contundentes condenava o consumo de sal e açucar considerados por ele como veneno. Outras escritos encarnava um paisagista, questionava, porque ao invez de mata-fome, não plantar , mangueiras, cajueiros, jaqueiras nas ruas e praças. Esses frutos serveriam para atenuar o sofrimento de tantos que não tem sequer o que comer. Defendia o cronista.

Falar de Inácio nos remete a o melhor da cultura sergipana, ele ficava muito triste com as falsas homenagens e quando via a poluição do nosso Rio Sergipe. Na Ponte do Imperador, certo dia, o acompanhei e vi as lágrimas rolarem do seu rosto secular enquanto mirava um bocado de bolsas plásticas de supermercado que boiavam como lixo no estuário. Era antes de tudo um ecologista.

No dia 14 de abril acontece na Sociedade Semear um leilão em benefício do artista plástico J. Inácio. Serão leiloados mais de 25 quadros doados por artistas locais , cujo lance inicial será de 30% do valor de mercado. O dinheiro arrecadado, será utilizado para família do artista adquirir um local definitivo para depositar os restos mortais de J. Inácio.

Este são os artistas que já enviaram suas obras: Caã, Fábio Sampaio, Adauto Machado, Ismael Pereira, Karinne Santiago, Nil Cavalcante, Alf, Vicente Coda, Lau, Laércio, Jacira Moura, Igor, Raquel, Rafael Nogueira, Márcia Gimarães, Edidelson, Pinto Santeiro, Elias Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário